Perguntas e Respostas

O QUE É VACINA?

É uma substância quimicamente semelhante a, ou derivada de um agente infeccioso particular, causador de doença, que vai ser reconhecida pelo sistema imunológico do vacinado produzindo anticorpos. Em caso de futura infecção, o sistema imune responderá com rapidez e eficácia suficientes para proteção efetiva contra a doença.

COMO POSSO TER CERTEZA DE QUE AS VACINAS SÃO SEGURAS?

Foi por meio das vacinas que conseguimos erradicar a varíola e controlar diversas doenças, como a poliomielite (paralisia infantil), o sarampo, a coqueluche e a difteria, entre outras. Isso comprova a eficácia das vacinas em promover proteção com segurança. Eventuais reações, como febre e dor local podem ocorrer após a aplicação de uma vacina, mas os benefícios da imunização são muito maiores que os riscos dessas reações temporárias.

É importante saber também que toda vacina licenciada para uso passou antes por diversas fases de avaliação, desde os processos iniciais de desenvolvimento até a produção e a fase final que é a aplicação, garantindo assim sua segurança. Além disso, elas são avaliadas e aprovadas por institutos reguladores muito rígidos e independentes. No Brasil, essa função cabe à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), órgão do Ministério da Saúde (MS).

E não é só isso. A vigilância de eventos adversos continua acontecendo depois que a vacina é licenciada. Isso possibilita continuar monitorando a segurança do produto.

QUAIS SÃO AS REAÇÕES MAIS COMUNS DAS VACINAS?

As reações locais são as mais frequentes, relacionadas às vacinas injetáveis, manifestando-se desde dor, vermelhidão, inchaço / edema de intensidade variável. Reações sistêmicas, os seja, com repercussões em todo o organismo (anafilactóides/alérgicas ou convulsões,  por exemplo) são raras pois a primeira resposta do sistema imune, quer a uma vacina, quer ao agente infeccioso é geralmente lenta e inespecífica. Pode eventualmente ocorrer febre, mal-estar, irritabilidade dor de cabeça, vômitos ou sonolência.

TODOS NÓS REAGIMOS DA MESMA MANEIRA ÀS VACINAS?

A vacinação é uma imunização ativa, isso é, depende da resposta do sistema imunológico de cada indivíduo. A grande maioria das pessoas saudáveis responde adequadamente à vacina, mas uma minoria pode não ficar protegida. Em geral, quanto mais jovem, melhor é resposta do sistema imunológico. Já as pessoas com doenças crônicas ou imunodeprimidas tendem a apresentar uma resposta menos eficiente. Além disso, pessoas imunodeprimidas e gestantes (pelo risco de infecção do feto) não podem receber vacinas vivas atenuadas, devido ao risco teórico de desenvolverem a doença.

TEM DOENÇA QUE NEM EXISTE MAIS. POR QUE MESMO ASSIM TENHO QUE ME VACINAR?

A continuidade da vacinação é importante exatamente para mantermos o status de controle ou erradicação de determinada doença em uma região. O mundo é imenso, mas as distâncias estão cada vez mais curtas devido às facilidades de deslocamento, e isso possibilita a circulação de agentes infecciosos até mesmo de um país para o outro, criando oportunidades para a reintrodução de antigas ameaças. Um exemplo é a poliomielite (paralisia infantil). Essa doença foi erradicada do Brasil na década de 1990 e, para que ela não seja reintroduzida, é preciso continuar vacinando as crianças.

A APLICAÇÃO DE VÁRIAS VACINAS NO MESMO DIA FAZ MAL?

Não. A aplicação conjunta de vacinas apropriadas para esse tipo de procedimento não implica risco para a saúde. Nosso organismo está preparado para responder de forma adequada, ou seja, para produzir os anticorpos que serão estimulados pelas vacinas.

POR QUE SÃO NECESSÁRIAS TANTAS DOSES DE VACINAS NO PRIMEIRO ANO DE VIDA?

Ao nascer, o bebê traz no sangue muitos anticorpos da mãe, transferidos durante a gravidez. Eles são importantes para a proteção enquanto o bebê não produz seus próprios anticorpos, contudo, os anticorpos herdados podem interferir na efetividade das vacinas. Daí a necessidade de várias doses no primeiro ano de vida. Além disso, a imaturidade do sistema imunológico da criança requer mais doses de vacinas para obter uma boa resposta.

QUAL A DIFERENÇA ENTRE AS VACINAS DO POSTO DE SAÚDE E DA CLÍNICA DE VACINAÇÃO PARTICULAR?

Algumas vacinas importantes não são aplicadas na rede pública, embora sejam testadas, aprovadas e recomendadas pelas sociedades médicas. Meningocócica B e  Meningocócica A,C,W,Y são exemplos.

Outras, disponíveis na rede privada, já apresentam uma geração mais moderna, podendo ser aplicadas combinadas com outras vacinas reduzindo o número de injeções como as vacinas pentavalentes e hexavalentes acelulares.

VACINA CONTRA A GRIPE – PRINCIPAIS DÚVIDAS

Gripe e resfriado são a mesma doença?

Não. A gripe é causada pelo vírus da Influenza e provoca febre alta, dores pelo corpo que, frequentemente, deixam o indivíduo acamado. A recuperação completa pode durar até uma semana e pode complicar com pneumonia e até matar, em alguns casos. O resfriado é causado por diversos outros tipos de vírus, têm sintomas parecidos, porém muito mais leves, suaves e com menor duração. Ele pode cursar com tosse, dor de garganta, dor no corpo, coriza, etc.

Como a gripe é transmitida?

A gripe é transmitida através de gotículas de secreção veiculadas pela tosse, espirro ou mesmo conversa com alguém infectado. O vírus penetra no organismo através das vias respiratórias. No centro do vírus está o material genético que invade as células, atingindo o núcleo, onde se duplica. Os fragmentos duplicados se apoderam de parte da célula atacada, formando novos vírus, em um processo que se repete milhares de vezes.

Vacina contra gripe imuniza contra resfriado?

Não. A vacina contra gripe imuniza somente contra os surtos de gripe e não contra resfriados.

Como se podem evitar novos surtos de gripe?

A OMS – Organização Mundial de Saúde – tem uma preocupação mundial a respeito da gripe, fazendo uma vigilância mundial do vírus influenza em mais de 80 países. O BRASIL também faz parte da rede integrada de vigilância contra a gripe.

A vacina contra gripe funciona?

A Vacina contra gripe é eficaz cerca de  89% dos casos, desde que tomada na época adequada.

A vacina contra gripe é segura?

Ela é muita segura, sendo usada em todo o mundo e não dando reações colaterais graves.

Quando começa a fazer efeito a vacina contra gripe?

Cerca de 7 a 15 dias após a vacinação  já começam a surgir os anticorpos que darão a proteção contra a gripe.

Por quanto tempo dura a imunização pós-vacina?

Como o vírus da gripe sofre mutação a cada ano,  o tempo de duração da vacina é de 1 ano.

A vacina contra gripe pode causar gripe?

Não. A Vacina contra gripe é uma vacina inativada e fracionada, o que significa que os vírus estão mortos e replicados, não podendo se reproduzir dentro do organismo das pessoas vacinadas; no entanto, podem produzir uma resposta imunológica protetora.

Por que algumas pessoas mesmo a vacinação ficam doentes?

A Vacina contra gripe protege da gripe, porém, não protege dos resfriados e de outras infecções que também ocorrem no inverno e tem sintomatologia semelhante. Devemos estar atentos ao fato de que cerca de 10% dos indivíduos vacinados podem ter gripe, porém, de uma forma  mais branda.

Quem pode ser vacinado?

Todas as pessoas a partir de seis meses de idade já podem ser vacinadas contra a gripe.

Quem deve ser vacinado?

Todas as pessoas após os seis meses de idade devem ser vacinadas, porém determinados grupos de risco cujas complicações secundárias são mais comuns e graves possuem preferência na vacinação. São eles: Indivíduos em uso de corticóide podem ser vacinados?

Sim, o uso de corticoterapia não impede a vacinação.

  • Idosos a partir dos 60 anos
  • Cardiopatas
  • Indivíduos com problemas pulmonares
  • Diabéticos
  • Indivíduos com AIDS
  • Renais Crônicos
  • Gestantes com qualquer idade gestacional
  • Profissionais de saúde
  • Contactantes com indivíduos de risco, para que estes não sejam transmissores da doença para seus familiares.

A gripe é contagiosa?

A Gripe é altamente contagiosa. Uma única pessoa pode contaminar todas as pessoas que trabalham no mesmo ambiente e que não foram vacinadas.

A composição da vacina é atualizada a cada ano, de acordo com os vírus circulantes, para garantir a eficácia do produto. A resolução está de acordo com as recomendações da Organização Mundial de Saúde (OMS) para o Hemisfério Sul. É proibida a utilização de quaisquer outras cepas de vírus em vacinas contra gripe.

Share This