Grávidas

PROTEJA VOCÊ E SEU BEBÊ, VACINE-SE

As infecções, quando ocorrem durante a gravidez, trazem o risco de hospitalização e/ou a necessidade de uso de medicamentos que podem ser contraindicados nesse período. Além disso, são capazes de prejudicar também o bebê, provocando malformações congênitas e danos ao curso da gestação (abortos, nascimento prematuro, entre outros). A vacinação pode prevenir algumas dessas infecções.
Quando a grávida se vacina seus anticorpos (agentes de defesa) passam para o bebê, ainda na barriga, através da placenta. Após o nascimento, essa transferência se dá por meio do leite materno.
As gestantes são consideradas grupo de alto risco para influenza (gripe). A cada ano, um número significativo é vítima da gripe e suas complicações.
Bebês também são importantes vítimas da influenza que, quando ocorre nos primeiros meses de vida, pode ser motivo de hospitalizações e quadros respiratórios graves.
No Brasil, praticamente 100% das mortes por coqueluche são de menores de 6 meses. A vacinação de gestantes é a principal recomendação para mudar esse cenário.
A mulher, sem saber, pode transmitir o vírus da hepatite B para o seu filho durante a gravidez ou o parto. Quando isso acontece, cerca de 90% dos bebês desenvolvem a forma crônica da doença. Por essa razão, a vacinação universal, incluindo a gestante e o recém-nascido, é uma estratégia mundial de prevenção.
Há décadas, o tétano neonatal era importante causa de mortalidade infantil. Hoje, graças à vacinação de gestantes, ele foi eliminado em todos os países das Américas. Mas, se paramos de vacinar, a doença pode voltar.

 

VACINAS RECOMENDADAS PARA GESTANTES

 

  • HEPATITE B

O QUE É?
A vacinação protege do vírus da hepatite B, causa de inflamação no fígado que pode cronificar e, nesse caso, provocar cirrose e câncer.

ESQUEMA DE DOSES
Se não foi vacinada antes de engravidar (ou se não completou todo o esquema), a gestante precisa receber a vacina hepatite B o mais cedo possível. No total, são três doses, com intervalo de um mês entre a primeira e a segunda, e de seis meses entre a primeira e a terceira. A vacina não contém vírus vivo, portanto não causa doença.

 

  • DTPa

O QUE É?
Previne contra difteria, tétano e coqueluche.

ESQUEMA DE DOSES
Deve ser repetida a cada gravidez, a partir da 20ª semana de gestação. A recomendação do Ministério da Saúde é a de que a gestante não adequadamente vacinada contra o tétano e a difteria receba duas doses da vacina dT e mais uma dose da vacina dTpa, com o objetivo de possibilitar a transferência de anticorpos contra a coqueluche para o bebê. No entanto, se ela não se vacinou, deve se imunizar no pós-parto, o mais cedo possível, para evitar transmitir a infecção. A vacina não contém bactérias vivas, portanto não causa doença.

 

  • GRIPE

O QUE É?
Protege contra os principais tipos de vírus influenza, que provocam a gripe. A vacina não contém vírus vivos, portanto não causa doença.

ESQUEMA DE DOSES
Uma dose anual, durante qualquer fase da gestação e a cada gestação, o mais cedo possível, inclusive no primeiro trimestre de gravidez.

 

EM CASOS ESPECIAIS

VACINAS QUE PODEM SER RECOMENDADAS

QUAIS SÃO?
Em situações específicas, as vacinas Hepatite A, Hepatite A e B, Pneumocócicas, Meningocócica conjugada ACWY, Meningocócica B e Febre Amarela podem ser recomendadas.

QUANDO SÃO INDICADAS?
Quando a gestante apresenta determinadas doenças crônicas, como doença cardíaca ou pulmonar, diabetes, entre outras, ou quando ela está em áreas de risco para a infecção, durante surtos ou não, algumas vacinas adicionais podem ser prescritas pelo médico.

Share This